Calcular os gastos com seguro é sempre uma confusão na cabeça das pessoas, fazendo-as optarem somente por avaliarem o valor final das apólices. Para desembaraçar este pensamento, o Insideseg decidiu explicar como alguns dos tipos de seguros são calculados e quais pontos devem ser avaliados para você, como segurado, economizar na hora de aderir a um seguro.

É importante entender que os diversos tipos de seguros são uma proteção para prever maiores gastos à longo prazo, que inclui uma cobertura de gastos e assistência 24h da seguradora. No mundo de hoje, não se pode contar com a sorte, pois estamos sempre vulneráveis, ainda mais com as porcentagens de sinistros aumentando a cada ano. Entender cada tipo de seguro e seus critérios de avaliação que influenciam no valor final é uma ótima maneira de ficar por dentro do assunto.

De acordo com a SUSEP por exemplo, em jan./set. de 2016 os sinistros ocorridos em automóveis aumentaram 4,7%, e as seguradoras pagaram indenizações no total de R$ 15,9 bilhões, enquanto no mesmo período. de 2015, estas significaram R$ 15,2 bilhões.

E para entender melhor esses diferenciais e o porquê do peso de cada fator no cálculo das apólices, resolvemos destrinchar alguns exemplos de seguros que são questionados no nosso próprio dia-a-dia.

Entendendo os seguros

No seguro viagem, o valor total de cada cobertura é influenciado pelo destino da viagem, idade do segurado e quais coberturas estão inclusas, além de, é claro, pelos dias de contratação. O principal fator que vai definir o valor da sua apólice é o seu tempo de estadia, porém, destinos com maior índice de violência ou com climas propícios ao desenvolvimento de doenças, tendem a custar mais caro, assim como adultos mais velhos e fisiologicamente mais vulneráveis.

No seguro auto, ao adquirir ou trocar um automóvel, um fator a se levar em consideração é o valor do seguro do carro. Para isso, não existe uma tabela de preço fixa, porque para chegar ao valor final, são analisadas algumas variáveis relacionadas ao perfil do motorista e às características do carro, como tamanho e modelo, além de mais critérios específicos para cada seguradora.

Segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), em 2014, quase 20 de 60 milhões de motoristas são do sexo feminino e, apenas 11% dos acidentes são provocados por mulheres, enquanto mais de 70% dos acidentes são provocados por homens. Sem contar que apenas 30% das multas são para motoristas do sexo feminino.

No que se diz respeito ao perfil do motorista, o valor é afetado de acordo com as estatísticas indicadas por cada seguradora, onde entende-se que motoristas mais velhos e motoristas mulheres possuem mais prudência no trânsito que homens e jovens. O histórico de ocorrências também é base de consulta e afeta o valor por uma questão de riscos, ou seja, baseado em quanto mais colisões, roubos e pontuações em carteira o segurado tiver.

No Brasil, em 2015, em pesquisa realizada pela SUSEP foi constatado que mulheres acionaram o seguro menos vezes, por serem mais cuidadosas com os limites de velocidade e com as placas de sinalização.

No seguro residencial, os fatores que influenciam são o tipo de imóvel e a sua localidade. Isso porque a seguradora avalia as chances de ocorrer um sinistro com seu imóvel. Assim, estatisticamente, prédios são mais seguros do que casas, e condomínios são ainda mais seguros, devido à série de caminhos a se percorrer até chegar à residência do segurado. Se a casa é feita de materiais como alvenaria e madeira, aumenta o valor final porque aumenta-se seu potencial de sinistralidade, sendo mais propício a ocorrer incêndios, ou seja, aumentando o custo. Diferente do que se pode pensar, a valorização imobiliária do imóvel não faz tanta diferença no preço da apólice.

O ideal é estar cada vez mais por dentro de como funciona o mercado de seguros para poder se prevenir de forma acessível e eficiente. Busque sempre os dados relacionados ao modelo do seu veículo ou o local onde você mora e entenda qual seguradora te oferece o melhor plano para cobrir todas as suas necessidades.

Posted by Mariana Carvalho

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *